Skip to content

Coral Eclésia comemora 100 anos na Série Música de Primeira, em 07/mai, 19:30h.

14 de abril de 2015

A Série Música de Primeira recebe o Coral Eclésia, acompanhado pela Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, no ano da comemoração de seus 100 anos de atividade.

CORAL ECLÉSIA

Formado por cantores leigos, amadores e profissionais, o coro segue apresentando com louvor, obras de compositores históricos da música sacra. Sob a regência da maestrina Anna Campello Egger, o centenário grupo apresenta como característica sua grande presença vocal, possui repertório com obras densas e de grande expressão, impactando positivamente seus espectadores, como poderemos testemunhar na edição de 7/mai da SMP. No programa, Handel, Mozart, Beethoven, Mendelsohn e Brahms.

Coral Eclésia-PIBRJ Logo Centenario CORAL ECLESIA- Azul

O Coral Eclésia é o mais antigo grupo vocal da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro e um dos primeiros coros de Igreja Evangélica da cidade do Rio de Janeiro. Foi criado em 06 de maio de 1915, com o objetivo de conduzir a congregação no canto dos hinos durante os cultos dominicais.

O Coral Eclésia teve em sua liderança importantes regentes como Daniel e Anna Cordes (1915-1922), Egydio Gióia (1922-1930), Arthur Lakschevitz (1930 – 1944), Regifredo Sarno (1944-1948), Guilherme Loureiro (1949-1950), Levindo Alcântara(1952-1956), Heitor Argolo(1956), Natanael Mesquita (1956-1962) e Marília Soren (1962-1966). Ao órgão, teve acompanhadores de expressão nacional e internacional como Frederico Egger, Edson Elias, Nicéa Soren, Betty Antunes de Oliveira, Leuzi Figueira, Ilem Vargas, Samuel Kardoz, Jayme Soren, Marília Soren, Domitila Ballesteros. Atualmente conta com o apoio dos pianistas Isabel Cristina de Andrade Lima e Antonio Henrique de Souza ao lado da organista Regina Lacerda.

Inicialmente conhecido por “Coro da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro”, passou a ser chamado por Coral Eclésia em 21 de março de 1967, sob a regência da Maestrina Anna Campello Egger. Desde então, a professora e maestrina reconhecida por sua competência, qualidade profissional e sensibilidade musical, vem dedicando sua vida à música à frente do coral Coral Eclésia, fato relevante pela longevidade de sua liderança.

O Coral Eclésia, pioneiro em apresentações radiofônicas no Rio de Janeiro a partir da década de 30, estendeu suas apresentações na TV, nos anos 60. Seu repertório inclui obras como o ”Messias” e “Judas Macabeus, de Handel; “Réquiem”, de Mozart; “Stabat Mater”, de Dvorák, “Hear My Prayer”, de Mendelssohn; “Te Deum” de Bruckner; “Elias”, “Lobgesang”, as “Cantatas Nº4 e Nº78”, além da primeira parte do “Oratório de Natal”, de Bach, peças traduzidas para o português pela professora Joan Sutton, em sua maioria.

Além da participação nos cultos da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro, o Coral Eclésia atua em programações em outras organizações pelo Brasil, em eventos da denominação, em salas de Concerto, como a Sala Cecília Meirelles, Teatro Municipal e Salão Leopoldo Miguez. Também já atuou acompanhado pelas Bandas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, além de participações em conjunto com a OPIB-Orquestra da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro, sob a regência do Maestro Maurílio Costa.

O Coral Eclésia teve seu primeiro CD gravado em 1997, em homenagem ao 30º aniversário de regência da Profª. Anna Campello à frente do grupo. O segundo, veio em março de 2002. Em 2005 gravou seu terceiro CD comemorativo. O quarto CD foi uma homenagem pelos 40 anos da Profª. Anna Campello Egger à frente do Coral grupo e o quinto CD foi gravado “Ao Vivo”, no santuário da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro em março de 2012, só com hinos do Cantor Cristão.

O Coral Eclésia tem por vocação a apresentação de composições clássicas e sacras, atuando prioritariamente em ambientes sacros, no enlevo espiritual dos presentes aos cultos e eventos cristãos.

Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

Criada em 30 de outubro de 1896, a Banda de Música do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro é uma das mais atuantes organizações musicais militares do Brasil. A Banda segue, a seu modo, o lema da corporação da qual é a alma sonora: salvar vidas através da arte e proteger a riqueza musical de nosso país com suas lendárias apresentações.

O corpo de Bombeiros, que sempre foi admirado pelo povo com muito carinho, começou a receber donativos para a Banda de Música. Assim, a banda dos Soldados do Fogo nasceu com a ajuda de empresas e de cidadãos interessados, protegida e incentivada pelo carinho do povo.

O Maestro Anacleto de Medeiros recrutou os melhores músicos da época e ensaiou os seus componentes tão rápido que no dia 15 de novembro de 1896, quando se deu a inauguração do Posto de Bombeiros de Humaitá, lá estava abrilhantando a solenidade um grupo de 25 músicos regidos pelo Sargento Azevedo, auxiliar do Maestro Anacleto.

Em 1906, no seu décimo ano de vida, em um festival de bandas militares e civis, a banda do Corpo de Bombeiros se destacou tanto das outras que a imprensa não poupou elogios ao Maestro Anacleto, que esteve à frente da banda durante 11 anos, dando-lhe supremacia absoluta, fato repetitivamente consignado pela crítica especializada.

Foi o primeiro grupo instrumental do Brasil a gravar discos, quando da instalação da Casa Edson, na Rua do Ouvidor, 107, na cidade do Rio de Janeiro, pelo israelita de origem checa Fred Figner. Marcando assim sua presença na nascente indústria fonográfica do país.

Tem participado de varias programações culturais populares da cidade do Rio de Janeiro e do país. Em torneios históricos, confrontando-se com outras bandas, manteve-se invariavelmente entre as primeiras. O reconhecimento público, oficial ou particular, encontra-se registrado em troféus, diplomas, placas e reportagens. Sua fama no coração da cidade foi semeada através de uma atividade constante. Participou de vários projetos culturais, como o Projeto Aquarius. Grandes nomes participaram de apresentações da banda, como os maestros Villa-Lobos, Isaac Karabtchevsky, Francisco Mignone.

Assim, o Corpo de Bombeiros, através de sua banda tem contribuído para o desenvolvimento artístico e musical da cidade e do país, levando a música de artistas de todos os tempos e países (populares e eruditos, tradicionais e contemporâneos), para as mais diversas comunidades, contribuindo para o desenvolvimento cívico e patriótico do nosso povo, sem deixar de lado o seu papel dentro da Corporação: o adestramento da tropa, cerimônias militares com as honras de praxe e visitas oficiais de autoridades. E com mais um importante detalhe: quando a necessidade chama, os músicos estão prontos e aptos para assumir a responsabilidade de Bombeiros Combatentes, como por exemplo, as catástrofes na serra fluminense em janeiro de 2011, quando um número expressivo de músicos foi voluntário. Nesse sentido, o músico não se atrapalha em trocar de instrumento, seja uma clarineta ou uma mangueira.

Em 2012, a pedido do seu administrador, o então Tenente Coronel Bombeiro Militar Marcelo Hess de Azevedo, ao Secretário Estadual de Defesa Civil e Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, Coronel Bombeiro Militar Sérgio Simões, a banda de música foi transformada em grupamento, através do DECRETO nº 43.612 de 23 de maio de 2012. Com o efetivo de 108 militares, entre administrativos e executantes, é comandado atualmente pelo Capitão Bombeiro Militar Músico Aurimar Bento Donato que também é o Maestro Titular.

Serviço:

Série Música de Primeira

Grupo: Coral Eclésia – Maestrina Anna Campello Egger

Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro – Maestro Aurimar Bento Donato

Programa: Handel, Mozart, Beethoven, Mendelsohn e Brahms

Data: 07/mai/2015, quinta-feira.

Horário: 19h30min

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro – Tel.: 2197-0900

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Praça Onze

Vagas para 20 carros no pátio da Igreja, conforme disponibilidade.

Transmissão ao vivo: www.pibrjtv.com.br

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Trio de Violino, Trompa e Piano na Série Música de Primeira em 9/abr.

19 de março de 2015

A Série Música de Primeira apresenta em sua edição de abril, um trio clássico da música de câmara, formado por Daniel Albuquerque no violino e viola, Daniel Soares na trompa e Mateus Araujo ao piano.

Virtuosos conhecidos do público que acompanha a boa música das salas de concerto cariocas, o trio promete momentos de grande expressão e conjunto na execução de peças de Schumann, Brahms e Schubert.

Nesta oportunidade, a Série Música de Primeira, tradicionalmente apresentada às primeiras quintas-feiras de cada mês apresentará sua edição de abril na segunda quinta-feira, dia 09, devido ao feriado da semana santa.

Serviço:

Série Música de Primeira

Grupo: Trio Violino, Trompa e Piano

Programa: Obras de Schumann, Brahms e Schubert

Data: 09/abr/2014, quinta-feira.

Horário: 19h30min

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro – Tel.: 2197-0900

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Praça Onze

Vagas para 20 carros no pátio da Igreja, conforme disponibilidade.

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Daniel Albuquerque

Daniel Albuquerque

Daniel Albuquerque – Violino

Natural do Rio de Janeiro, iniciou seus estudos de violino ainda criança e aos 12 ingressou em primeiro lugar no curso técnico da Escola de Música da UFRJ onde logo cedo pode participar como solista da Orquestra Sinfônica da Escola de Música sob a regência do maestro Ernani Aguiar.

Participou de diversos festivais de música onde teve master-classes com renomados violinistas como Shmuel Ashkenasi, Miriam Fried, Ori Kam, León Spierer e Pinchas Zukerman. Em 2002 foi bolsista do Festival de Verão da Kinhaven Music School, em Weston, Vermont (EUA) destacando-se na ocasião como Spalla da Orquestra do Festival. Em 2008 teve oportunidade de representar o Brasil em turnê pela América Latina com a Orquestra Jovem das Américas e no ano seguinte, com a Cia Bachiana Brasileira, em concertos pelo Vietnã e Cingapura. Ainda em 2009 obteve o prêmio de melhor intérprete de Francisco Mignone no Concurso de Jovens Intérpretes de Mignone, organizado pelo FINEP (RJ).

Concluiu o Bacharelado em violino na UFRJ, na classe do professor Daniel Guedes, com quem também atua no cenário camerístico nacional com o tradicional Quarteto da Guanabara juntamente com a violinista Maressa Portilho e o violoncelista Marcio Mallard.

Atualmente é concertino da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e violinista da Orquestra Petrobras Sinfônica.

 

Daniel Soares

Daniel Soares

Daniel Soares – Trompa

Iniciou seus estudos aos 14 anos com seu tio Francisco de Assis Soares da Silva (OSTM e OPES). Logo após ingressou no curso de extensão na Unirio com o professor Zdenek Svab. Estudou durante uma ano e meio com o trompista Samuel Hamzam (OSESP). Entre 2007 e 2011 Integrou a Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem onde foi vencedor do concurso para   jovens solistas nos anos de 2008 e 2010. Participou de Masterclasses com trompistas como Radovan Vlatkovic, Marie Louise Neunecker, Stefan Dohr e Will Sanders. Nos anos de 2008 e 2010 frequentou o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão. Atualmente é aluno do curso de bacharelado em trompa na UFRJ na classe do professor Philip Doyle e integra a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

Mateus Araujo

Mateus Araujo

Mateus Araujo – Piano

Regente da Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem em 2011 e 2012, da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, em Belém, de 2005 a 2009, da Sinfônica de Ribeirão Preto em 2003 e 2004, Mateus Araujo vive no Rio de Janeiro, onde também exerceu a função de Conselheiro Artístico na Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira em 2009 e 2010.

Foi violinista por 12 anos da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo. Ao mesmo tempo, foi pianista acompanhador em diversas óperas e concertos líricos. Em 1999, foi eleito regente da Orquestra Jazz Sinfônica, realizando gravações e concertos nas salas mais importantes do país, incluindo no Festival de Campos do Jordão.

Estudou regência com Eleazar de Carvalho e Henrique Gregori, e foi bolsista convidado do Festival de Aspen em 2000 e 2001, estudando com David Zinman e Jorma Panula entre outros. Foi selecionado para o concurso mundial de regência de Lorin Maazel em 2002 e passou a apresentar-se como regente convidado das orquestras sinfônicas do Theatro Municipal de São Paulo, do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Paraná e do Teatro Nacional Claudio Santoro de Brasília, entre outras, além de orquestras no Chile, na Espanha e na Inglaterra.

Além de reger extenso repertório sinfônico e coral, apresentou-se como pianista e regente em concertos de Bach, Haydn, Mozart e do Concerto em Fá de Gershwin. No Theatro da Paz regeu as óperas Rigoletto, Gianni SchicchiLa Bohème e Madame Butterfly, além do ciclo das sinfonias de Beethoven e concertos marcantes como a primeira apresentação na região norte da Floresta do Amazonas de Villa-Lobos. Em 2013 regeu no Teatro Nacional de Brasília a ópera Olga, de Jorge Antunes.

Como compositor, desde 1994 tem apresentado suas obras orquestrais e arranjos para diversas formações. Destacam-se a Suíte Brasileira, estreada no Carnegie Hall de Nova Iorque em 2008, sua obra orquestral Prelúdio, Fuga e Samba, apresentada no Lincoln Center de Nova Iorque em 2011, e Bachmazonia, estreada pela OSB em 2012 no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Duo Bretas-Kevorkian abre a temporada 2015 da Série Música de Primeira.

12 de fevereiro de 2015

DUO BRETAS-KEVORKIAN executam ao piano a quatro mãos, obras de Grieg, Fauré, Stravinsky, Piazzola e Ronaldo Miranda, abrindo em grande estilo a a temporada 2015 da Série Música de Primeira. Dia 05 de março de 2015, às 19:30h, na Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro. 

Foto: Studio Faya

Foto: Studio Faya

Celebrando 20 anos de ininterrupta parceria, o Duo Bretas-Kevorkian – Patrícia Bretas & Josiane Kevorkian – é hoje referência para a prática da música para piano a 4 mãos e 2 pianos. Desde sua estreia, em 1995, o duo mantém o ideal de difundir a música brasileira para essa formação, assim como valorizar obras do repertório internacional que são pouco conhecidas no Brasil.

Foi com o 1º prêmio conquistado por unanimidade no Concurso Artlivre de Duos Pianísticos em São Paulo e ainda com a execução da versão original para 4 mãos da Sagração da Primavera de Stravinsky que o Duo-Bretas-Kevorkian imprimiu a sua marca no panorama nacional, atuando em importantes séries e festivais no Brasil, assim como na França, Inglaterra, República Tcheca e Alemanha.

Patrícia Bretas, carioca, discípula de Maria da Penha e Myrian Dauelsberg no Brasil e de Eliane Richepin na França, é Professora da UFRJ. Tem tocado anualmente em diversas cidades da Europa, como Budapest, Praga, Bratislava, Stockholm, Luxembourg, Gothenburg, Kopenhagen e Berlin em recitais solo e como solista de orquestra. Foi solista convidada no Festival de Verão de Junsele (2004) e no Festival de Música e Poesia de Praga (2005), no Festival Martinu (2006), no Festival da Primavera de Budapest (2009) e Festival Internacional de Bratislava (2009). Em 2003 gravou seu 2º CD na República Tcheca pelo selo RadioServis, e em 2010 gravou seu CD “Patrícia Bretas – piano solo” com o patrocínio do OUROCAP. Gravou para as Rádios Sweedish Radio, Mágyar Rádió (Húngara) e Cesky Roszlas (Tcheca). Em 2013 lançou seu 4º CD, “Patrícia Bretas interpreta Ronaldo Miranda”, com toda a produção para teclado do compositor.
Josiane Kevorkian, capixaba, discípula de Daisy de Luca e Maria da Penha no Brasil e de Pascal Rogé e Norman Beedie na Europa, é membro da Academia de Letras e Música do Brasil. Desde 1998 é Diretora Cultural da Casa de Artes Paquetá e Diretora Artística do Projeto Bem Me Quer Paquetá, premiado pela Secretaria de Cultura, e patrocinado por diversas empresas, desenvolvendo um extenso trabalho de formação artística através da música sinfônica para crianças e jovens da Ilha de Paquetá. A Orquestra Jovem Paquetá (OJP), pertencente ao projeto, já tem tocado em inúmeras salas no Rio de Janeiro, e em 2014 foi à Alemanha tocar em cinco cidades. Como pianista solista e camerista já tocou em várias séries de concertos no Brasil e no exterior, incluindo o Festival Internacional de Nice (França). Foi solista da Orquestra de Câmara de Vitória sob regência de Antonio Adolfo e da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo sob a regência de Helder Trefzger.
Donas de um estilo marcante na execução do repertório para dois pianos e piano a quatro mãos, o Duo Bretas-Kevorkian vem sendo convidado a fazer estreias mundiais de inúmeras obras brasileiras, muitas delas a ele dedicadas, sempre com sucesso absoluto de público e de crítica. O duo tem um CD lançado em 2002, com edições já esgotadas.

Serviço:

Série Música de Primeira

Duo Bretas-Kevorkian, piano

Programa: Obras de Grieg, Fauré, Stravinsky, Piazzola e Ronaldo Miranda

Data05/mar/2014, quinta-feira.

Horário: 19h30min

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro – Tel.: 2197-0900

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Pça. XI

Vagas para 20 carros no interior da Igreja, conforme disponibilidade.

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

OSRJ-Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro na Série Música de Primeira em 04/dez.

11 de novembro de 2014

A Série Música de Primeira apresenta em sua última edição de 2014 a OSRJ – Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro.

Estreando peça composta exclusivamente para o grupo, a OSRJ traz clássicos da música progressiva dos anos 70.

Foto-osrj
Fundada em 12 de Setembro de 2005 a OSRJ é uma Orquestra de Câmara composta por jovens e talentosos músicos atuantes no cenário da música de câmara e sinfônica do Rio de Janeiro. Desde o ano de sua fundação a OSRJ vem oferecendo em sua temporada anual de concertos um abrangente repertório camerístico para diversas formações instrumentais. Estréia de obras de compositores brasileiros e estrangeiros, música popular e música clássica, concertos a preços populares e entrada franca, a OSRJ tem um compromisso com a qualidade e com o público.

FORMAÇÃO ORIGINAL

Rafael de Barros de Castro – maestro
Fábio Peixoto – Violino I
Leonardo Fantini – Violino II
Bernardo Fantini – Viola
João Bustamante – Violoncelo
Cláudio Alves – Contrabaixo
Rubem Schuenck – Flauta
Oboé/Corne Inglês – Jeferson Nery
Clarineta – Márcio Costa
Saxofones – Levi Chaves
Fagote – Geoffrey Fouvry
Trompa – Eliézer Conrado
Trompete/Flugelhorn – Gilson Santos

PROGRAMA

  • Retrato Brasileiro –  Ney Rosauro, Estréia Mundial da peça dedicada à OSRJ
  • Thick as a Brick – Jethro Tull
  • Xanadu, Rush
  • Karn Evil 9 1st Impression, Emerson, Lake and Palmer
  • Uncle Meat, Frank Zappa
  • Firth of Fifth, Genesis

 NEY GABRIEL ROSAURO nasceu no Rio de Janeiro em 24 de Outubro de 1952, estudou Composição e Regência na Universidade de Brasília. Em 1976 começou seus estudos de percussão sinfônica com o prof. Luiz Anunciação da OSB no Rio de Janeiro. De 1980 e 1982 fez especialização em Percussão e Pedagogia Musical na Hochschule für Musik Würzburg (Alemanha) sob a orientação do Prof. Siegfried Fink e entre 1985 e 1987 completou o Mestrado em Percussão nesta mesma escola. Concluiu o Doutorado em Percussão (DMA) na University of Miami (EUA) em 1992, sob a orientação do prof. Fred Wickstrom. Entre 1975 e 1987 foi professor da Escola de Música de Brasilia e também timpanista e chefe do naipe de percussão da Orquestra do Teatro Nacional de Brasilia. Entre 2000 e 2009 foi diretor dos estudos de percussão na University of Miami, FL, EUA, onde também dirigiu o Grupo de Percussão da UM e os cursos de pós-graduação em percussão desta instituição.

Como compositor já escreveu mais de 100 peças e métodos didáticos para instrumentos de percussão sendo a maioria editada na Alemanha, EUA e Brasil. Suas composições já foram gravadas em CD e Video por artistas de renome internacional (como Evelyn Glennie e a London Symphony Orchestra) e seu concerto para Marimba e Orquestra foi já foi tocado por mais de 2500 orquestras nos cinco continentes.

Serviço:

Série Música de Primeira

OSRJ – Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro (www.osrj.com.br)

Programa: Obras de Ney Rosauro.

Data04/12/2014, quinta-feira.

Horário: 19h30min

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro – Tel.: 2197-0900

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Pça. XI

Vagas para 20 carros no interior da Igreja, conforme disponibilidade.

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Quarteto de Saxofones “4×4″ na Série Música de Primeira

15 de outubro de 2014
A Série Música de primeira apresenta Quarteto de Saxofones “4×4″.
"4x4"
Formado em 2013 por quatro talentosos colegas do curso de bacharelado em saxofone da escola de música da UFRJ, Felipe Amorim, Liana Magalhães, Marco Saldanha e Thiago Martins tiveram a intenção de fazer música de câmara eclética, transitando pelo erudito, samba, frevo, jazz, tango, choro e outros estilos. O “4×4″ tem se apresentado com frequência em importantes festivais e realizado concertos de grande importância na cidade do Rio de Janeiro. Com pouco tempo de formação, o quarteto vem se destacando no cenário carioca.

Participou e apresentou-se no Masterclass do Prof e saxofonista Rodrigo Villa, Prof da Universidade de Palma de Mallorca(ESP). Estreou duas peças no concerto do prelúdio 21 juntamente com o Conjunto de saxofones da UFRJ, Figurazioni Multipli do compositor José Orlando Alves e Ut Tout Petit Rien do compositor Caio Senna. Apresentou-se na Proler- Casa da leitura tendo participado da série terças culturais na semana em que a casa viria a completar 20 anos de existência.

Realizou a Série Talentos UFRJ, no Salão Leopoldo Miguez. Integrou como grupo convidado na série “Jovens Cameristas” no 51º Festival Villa-Lobos na sala da Congregação. Foi finalista do III concurso de música de câmara do 51º Festival Villa Lobos, obtendo o 2º lugar no concurso onde teve sucesso absoluto na final e pela crítica especializada em música, a final foi realizada no CCBB ( Centro Cultural Banco Brasil)” Apresentou-se no Festival Internacional Compositores de hoje em 2013, juntamente com o Conjunto de sax da UFRJ, no CCJF ( Centro Cultural Justiça Federal).

Pode-se citar a grande influência e colaboração dos professores Pedro Bittencourt e José Rua no crescimento e amadurecimento musical do 4×4.

Ministrou workshop na Assembléia de Deus em Gramacho na semana da música, tema este voltado para a música de câmara difundida para saxofones.

Apresentou-se como grupo convidado, no lançamento do cd “Compor” do saxofonista, flautista e compositor Paulo Rego, no Studio – RJ em Ipanema. Juntamente com um dos maiores saxofonistas do Brasil, Carlos Malta.

Iniciou o ano de 2014 com dois concertos do grupo de compositores Baixo-clero, com peças inéditas e atuais escritas para quarteto de saxofones. Recife Suíte – Jorge Santos, Baião Descompassado – André Codeço, Minituara Nº7 – Patrícia Lopes (Compositora convidada) e Reflexão em 3 movimentos – Fábio Monteiro. Os concertos foram realizados na Igreja sagrado coração de Maria – Méier (RJ) e Ordem dos advogados do Brasil (OAB) Respectivamente.
Em novembro participará como grupo convidado do maior Festival do Brasil, o Festival Villa Lobos. Na série jovens cameristas, por sua conquista no festival passado, onde obteve o segundo lugar. O concerto será realizado no dia 20 de novembro ás 12:30 no CCBB.

Atuou este ano como grupo convidado no VI Encontro Internacional de Saxofonistas em Tatuí – SP

Recentemente gravou o programa na TV Brasil, Partituras.

Programa:

  • Quatro Coisas – Guerra Peixe – Arranjo: Marco Túlio
  • Bachianas Brasileiras Nº 4 – H. Villa Lobos – Transcrição: Guilherme Andreas
  • Quarteto de Saxofones – Victor Assis Brasil
  • Rosa – Pixinguinha – Arranjo: Carlos Almada
  • Saxonfona – Julio Merlino
  • Bye Bye Brasil – Chico Buarque – Arranjo: Carlos Almada
  • Baião Descompassado – André Codeço
  • 1×0 – Pixinguinha / Benedito Lacerda – Arranjo: Manu Malheiros

Serviço:

Série Música de Primeira

Quarteto de Sax “4×4″

  • Thiago Martins (Saxofone Soprano)
  • Marco Saldanha (Saxofone Alto)
  • Felipe Amorim (Saxofone Tenor)
  • Liana Magalhães (Saxofone Barítono)

Data: 06/11/2014, quinta-feira

Horário: 19:30h

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro – Tel.: 2197-0900

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Pça. XI

Vagas para 20 carros no interior da Igreja, conforme disponibilidade.

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Série Música de Primeira apresenta o TRIO PAINEIRAS em sua edição de 02 de outubro.

22 de setembro de 2014

A Série Música de Primeira apresenta em sua edição de 02 de outubro o TRIO PAINEIRAS, apresentando obras de Mozart, Shostakovich, Darius Milhaud e Luiz Pardal.

Série Música de Primeira, série de música de câmera, apresenta seus concertos gratuitos, toda primeira quinta-feira de cada mês, sempre às 19:30 horas, na Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro.

TRIO PAINEIRAS

Batista Jr. – Clarinete

Marco Catto – Violino e viola

Marina Spoladore – Piano

A formação camerística incluindo Violino, Clarinete e Piano é relativamente nova sendo suas mais conhecidas obras compostas no século XX. Compositores como Bartók, Stravinsky, Berg, Milhaud, Khachaturian,  escreveram as mais significativas obras para esses três instrumentos, solidificando assim esta formação e tornando-se referências  na escrita.

Em 1972 com a criação do Verdehr Trio – nasce um crucial projeto de ampliação do repertório, onde  mais de 200 obras para o Trio Violino, Clarinete e Piano foram escritas e gravadas.

No Brasil, temos um crescente no número de obras desde meados do século XX até hoje. Compositores como Ernest Mahle, Luiz Pardal, Ricardo Tacuchian, Dimitri Cervo, Alexandre Schubert, entre outros.  dedicaram-se a escrita alternando-a por vezes entre Violino/Viola, Clarinete/Clarone e Piano

Formado por 3 músicos atuantes no cenário da música de câmara e música sinfônica no Rio de Janeiro e ligados à atividade acadêmica nas universidades UFRJ e UNIRIO. O Trio Paineiras beneficia-se da versatilidade da formação para Violino ou Viola e Clarinete ou Clarone junto ao Piano, tendo como proposta clara a divulgação do repertório tradicional escrito, bem como a divulgação e incentivo à criação de novas obras por compositores brasileiros.

PROGRAMA

  1. W. A. MOZART

Trio K.498 “Kegelstatt”, para clarineta, viola e piano em Mi b Maior.

I – Andante

II – Menuetto

III – Rondeaux – Allegretto

  1. SHOSTAKOVICH

Cinco Peças para dois violinos e piano (transcrição para clarineta, violino e piano)

– Prelúdio

– Gavotte

– Elegia

– Valsa

– Polca

DARIUS MILHAUD

Suite para violino, clarineta e piano op.157b

I – Ouverture

II – Divertissement

III – Jeu

IV – Introduction et Finale

LUIZ PARDAL

Suite Arcortrio (2003)

– Toccata para Celson Gomes

– Modinha para Cintia

– Choro às pressas pro Cohen

BATISTA JR. – Clarineta: Premiado em diversos concursos, estudou na UFRJ graduando-se em Música/ Clarineta, onde atualmente é mestrando em Práticas interpretativas/Clarineta. Participou de diversos cursos e masterclass com renomados professores do Brasil e exterior, entre eles: José de Freitas-RJ, Edimilson Neri-SP, José Botelho-RJ, José Carlos de Castro, Hen HaLevi-Israel, Walter Seifarth- Filarmônica de Berlim, Jonathan Cohler-EUA.
Atuou como clarinetista na Filarmônica Amazonas-Manaus nas temporadas de 2001 e 2002 e como músico convidado em diversas orquestra do RJ. De 2002 a 2012 foi músico – Clarineta/Clarone – da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Desenvolve diversos trabalhos camerísticos, entre eles o Trio di Prima (Clarineta, cello e piano), Duo Soli e Abstrai Ensemble (sax, flauta, percussão, piano, voz e eletrônica). Desde 2012 é professor de música/clarineta da Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ.

MARCO CATTO – Violino: Graduado pela UNESP e pela Franz Liszt Music Academy em Budapeste, concluiu seu mestrado com distinção pela DePaul University em Chicago, na classe do renomado professor Ilya Kaler. Foi membro da orquestra Ventoscala Szimfonikus Zenekar em Budapeste e da Civic Orchestra de Chicago, do Teatro Municipal de São Paulo e da Orquestra Sinfônica Brasileira. Participou dos festivais de Itu, Campos do Jordão, Curitiba, Festival de Música de Câmara de São Paulo e Festival de Quartetos em Zeist (Holanda). Atualmente, é professor do projeto social Música nas Escolas de Barra Mansa, trabalha na Orquestra Sinfônica da UFRJ e é membro fundador do Trio UFRJ e do Quarteto A Priori.

MARINA SPOLADORE – Piano: Brasileira, influenciada por sua mãe, professora de música, desde os três anos de idade. De 1998 a 2001, estudou com a professora Leilah Paiva, de Curitiba, e entre 2002 e 2005 estudou na Escola de Música da UFRJ, onde concluiu o curso de bacharelado em música na classe do professor Luiz Senise, que até hoje acompanha seu desenvolvimento. Estudou com a Dr. h.c. Fany Solter na Staatliche Hochschule für Musik Karlsruhe, Alemanha, com bolsas concedidas pelo Grande Concurso Magda Tagliaferro e pelo governo alemão. Freqüentemente participa de festivais, cursos e master classes, onde tem contato com pianistas renomados como Eduardo Hubert, Natalia Troull, Menahem Pressler, Arnaldo Cohen, entre outros.
Obteve trinta e duas premiações nos diversos concursos de que participou, nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais, sendo treze primeiros lugares, destacando o Concurso OSB Nelson Freire – Novos Talentos Brasileiros (RJ, 2005), I Concurso Latino-Americano e IV Concurso Nacional Proarte (RJ, 2004), Grande Concurso Magda Tagliaferro (SP, 2004) (recebendo bolsa de estudos de três meses para Karlsruhe, Alemanha), Concurso Arnaldo Estrella (Juiz de Fora, 2004). Primeira colocada no 3º Concurso Jovens Talentos MEC FM (RJ, 2006), recebendo uma bolsa de estudos pela CAPES.
Vem atuando como solista e camerista no RJ, na Sala Cecília Meireles, auditório Leopoldo Miguez da Escola de Música da UFRJ, Cine-Teatro UFF e o Auditório do IBAM; também apresentou-se no auditório do Masp, em São Paulo, e no Cine-Banguê, em João Pessoa. Também atua junto de importantes orquestras no Brasil, como a Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFRJ, a Orquestra Sinfônica da USP e a Orquestra Sinfônica Nacional (OSN-UFF), tendo a oportunidade de trabalhar com regentes como Ligia Amadio, Carlos Lima, Ernani Aguiar, Guilherme Bernstein, Bernardo Bessler e Ronaldo Bologna.
Em 2009, concluiu o mestrado em musicologia na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, sob orientação do professor Dr. Carlos Alberto Figueiredo. Atualmente integra o projeto PianOrquestra.

SERVIÇO:

Série Música de Primeira

TRIO PAINEIRAS

Batista Jr – Clarinete

Marco Catto – Violino e viola

Marina Spoladore – Piano

Data: 02/10/2014, quinta-feira

Horário: 19:30h

ENTRADA FRANCA

Local: Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro (Tel.: 2197-0900)

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

De Metrô, acesso pela estação Estácio ou Pça. XI

Vagas para 20 carros no interior da Igreja

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Em agosto a Série Música de Primeira é parceira do Rio Cello Encounter!

24 de julho de 2014

Como vem ocorrendo nos últimos anos, a Série Música de Primeira reserva a edição de agosto para a vitoriosa parceria com o circuito Rio Cello Encounter (http://riocello.com/). Por este nobre motivo, transferimos nossa programação habitual, da primeira para a terceira quinta-feira do mês.

20. rio cello

Nesta oportunidade teremos a participação especialíssima de um grupo de virtuosos e consagrados músicos de destaque no cenário internacional, interpretando nada menos que Johann Sebastian Bach.

Johann_Sebastian_Bach

Johann_Sebastian_Bach

Reserve em sua agenda, data e hora para desfrutar deste excelente e raro momento, no aconchegante espaço da Primeira Igreja do Rio de Janeiro.

Serviço:

Série Música de Primeira

Rio Cello Encounter (http://riocello.com/)

21/8/2014, quinta-feira

19:30h

Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro

Rua Frei Caneca, 525 – Estácio (Em frente ao Hospital da Polícia Militar)

Metrô, acesso pela estação Estácio ou Pça. XI

20 vagas para carro no interior da Igreja

Transmissão ao vivo: http://new.livestream.com/pibrj/smp

Acompanhe a Série Música de Primeira:

www.musicadeprimeira.wordpress.com

http://www.twitter.com/musicaprimeira

http://www.facebook.com/seriemusicadeprimeira

www.pibrj.org.br

Músicos:

Haroutune Bedelian, David Ashbridge, Isa Holmesland – violinos

Russell Guyver, Karolin Broosch, Irina Matzen – violas

Kim Bak Dinitzen, Friedrich Kleinhapl, Kaja Pettersen – cellos

Manuel Mijares – contrabaixo

Sofia Ceccato – flauta

Juliana Franco – soprano

Jacques Rocha – tenor

Fabrizio Claussen – barítono

Clara Albuquerque – Cravo

Programa:

J. S. Bach

Prelude Cello Suite

Partita para violino solo

Schweigt stille, plaudert nicht, BWV 211

Brandenburg no. 3

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 719 outros seguidores